19/09/2018

Meu planner da A. Craft: saiba como funciona e se vale a pena investir

Oi, gente! Hoje eu vim falar sobre um assunto um pouco diferente: planners e bullets journals. Já faz algum tempo que eles começaram a fazer sucesso, por vários motivos. O principal é que, apesar de eles serem uma espécie de agenda, não servem só para anotar compromissos e tarefas. Com eles, você também consegue organizar outros aspectos da sua vida, como metas, projetos, controle dos negócios, estudos, finanças etc. Além disso, eles são bem customizáveis e acaba sendo muito divertido deixar tudo bem fofo e personalizado.

Imagem mostrando o planner cor chocolate da A. Craft com canetas e post-its do lado

Por que os planners fazem tanto sucesso e pra que eles servem?

Esse método foi criado pelo designer Ryder Carrol e, embora a gente veja várias imagens com milhares de colagens e decorações elaboradas por aí, é bastante simples: você precisa basicamente de um caderno para começar o seu. A graça é criar páginas que atendam suas necessidades e, se você gostar e quiser, decorá-las para deixá-las bem bonitas e inspiradoras.

Na verdade, eu os vejo como uma evolução das agendas que nós muitas de nós mantínhamos quando éramos adolescentes: lembra como a gente guardava papéis de chocolate, fotos, recadinhos e até pétalas de flores dentro delas? Pois é, é a mesma coisa, mas agora com a possibilidade de personalizar inclusive as páginas que você quer ter.

Ou seja: prefere organizar sua semana toda de uma vez, em vez de em dias separados? É possível. Quer uma página para ir acompanhando quais séries está assistindo e em que episódio parou? Também. Precisa anotar melhor seus gastos e contas para economizar e não esquecer de pagar nenhum boleto? É só colocar lá.

Então é isso: acho que os planners estão fazendo tanto sucesso porque, além de ser uma delícia o processo de decorar e buscar inspirações, você pode ir adaptando à sua rotina e escolhendo as categorias que realmente fazem falta na hora de organizar seu dia a dia.

Por que eu decidi começar um planner?

Planner pronto da Tilibra, agenda e planner customizável da A. Craft

Apesar do sucesso que os planners vinham fazendo, contudo, eu ainda não tinha me entregado por um simples motivo: a maioria deles custava bem mais que uma agenda convencional e eu achava que não valia a pena investir. Na verdade, fiz algumas tentativas de ficar inclusive sem comprar agendas, mas não deu muito certo - sou uma pessoa muito textual, preciso escrever pra lembrar e me organizar.

Em 2018, como sempre fazia, comprei uma agenda bonitinha, de capa do Harry Potter e, na empolgação consumista, aliás, cheguei a comprar, antes mesmo do ano começar, um planner pronto da Tilibra (mas não fez muita diferença porque ele era praticamente uma agenda normal). Só que comprar uma agenda por ano acabou me gerando um problema: as capas eram tão lindinhas que eu tinha dó de jogar fora. Aí eu ficava acumulando agendas velhas na gaveta kkk

Somado a isso, entrei em uma onda de desapego e, com isso, queria ter uma coisa só, útil e prática, que não ficasse ocupando muito espaço e, embora ficasse um pouco mais caro que uma agenda, resolvi investir, menos pela personalização que pelo fato de você só precisar trocar os miolos.

Como funcionam e como montar?

A maioria das capas deles são de couro sintético (mas eles têm uma de couro legítimo que custa mais caro - R$ 270), bem resistentes, e já vêm da loja com quatro elásticos internos, sendo que cada um comporta um bloquinho. Na prática, você também pode acoplar bloquinhos extras com elásticos que são vendidos separadamente e nem sequer precisa da capa: dá pra montar um mini-planner usando uma pastinha, por exemplo. A capa, contudo, é legal porque protege e organiza melhor, na minha opinião.

A ideia é que você possa escolher exatamente o que se encaixa na sua rotina e trocar quando as folhas acabarem. Na loja, além da capa e dos miolos, você também pode comprar pastinhas para colocar contas, imagens, post-its e o que mais quiser, elásticos extras e materiais de papelaria para decorar tudo.

O que eles têm:

  • Capas estampadas (R$ 40, em média);
  • Capas lisas (R$ 37, em média);
  • Capas metalizadas (R$ 50, em média);
  • Elásticos para repor ou acrescentar cadernos (R$ 3,50);
  • Blocos personalizados e lisos, com pauta, sem pauta, com bolinhas ou quadriculados (os preços variam entre R$ 9,50 e R$ 23);
  • Pastas de plástico e de papel, lisas e estampadas (Entre R$ 8 e R$ 15);
  • Pingentes (R$ 5,50)
  • Canetas, réguas, adesivos e outras coisas para decorar

(preços de setembro de 2018)

Para montar, é simples. Basta abrir o caderninho/ miolo no meio, passar por dentro do elástico e pronto. Você coloca os blocos na ordem que quiser e, se achar melhor, não precisa colocar quatro blocos (assim, ele fica mais leve pra carregar). Dica: as pastinhas não precisam ocupar sozinhas um elástico, dá pra colocar por trás do bloquinho normal. No site da A. Craft tem um vídeo que mostra direitinho como funciona e como colocar blocos extras (clique aqui para assistir).

O que achei do meu planner?

Minha conclusão é de que eu não fiz as melhores escolhas possíveis na hora de montar meu planner, pra ser sincera. Comprei o bloco não datado, que vem sem datas específicas mas já com as divisões de dias, mas achei que não era exatamente o que eu queria, já que comecei a querer personalizar tudo. Também não comprei cadernos pontilhados, que são excelentes na hora de fazer suas páginas (falarei mais sobre isso em outro post).

De qualquer forma, era minha primeira experiência com eles e serviu para entender melhor o que eu queria e entender quais blocos seriam melhores pra mim. Inicialmente, tinha planejado fazer um bloco para compromissos, outro para finanças, um para o blog e outro para o francês. Percebi que, pra mim, o ideal seria, na verdade, juntar tudo (fora o do francês), em um só, e é o que pretendo fazer quando o bloco que eu comprei acabar.

Desde então, aliás, já comprei blocos extras e estou começando a planejar as páginas que vou criar para o planner do ano que vem. E isso é algo bem legal sobre o planner da A. Craft: não deu certo? Vá mudando, fazendo adaptações e descobrindo como as coisas funcionam pra você. Basta trocar o bloquinho.

Sobre o processo de compra em si, já foram duas e não tive problemas: os produtos foram enviados rapidamente, não houve problemas com o pedido e, sinceramente, acho o preço dos produtos bem razoável, é possível montar um planner básico por R$ 50 e, se quiser, ir adicionando novos itens aos poucos. As únicas coisas chatas é que é bem comum que as coisas esgotem por lá (mas espere um pouquinho que eles estão sempre repondo) e que a gramatura das folhas dos bloquinhos não é tão alta, o que acaba resultando em folhas manchadas no verso. Mas a capa é muito resistente, as coisas são muito bem feitas e acabadas e eu sinceramente nem penso em mudar de marca.

Como esse post já está bem longo, daqui uns dias volto com dicas na hora de escolher seu planner da A. Craft pra ajudar vocês a fazer a melhor compra possível! Espero que gostem <3 Beijo!